Preço do botijão de gás sobe até 5% e preço médio pode chegar a R$ 105 a partir de fevereiro no RN, diz sindicato

O preço do botijão de gás de cozinha (o GLP) vai aumentar entre 4% e 5% a partir da próxima quinta-feira (1º) no Rio Grande do Norte, de acordo com o Sindicato dos Revendedores de Gás do Rio Grande do Norte.

Segundo o presidente da entidade, Francisco Santos, o motivo do aumento é a somatória de pelo menos três custos que serão ampliados a partir da data. O botijão, que atualmente custa R$ 100, em média, poderá chegar a R$ 105, segundo ele.

“Vai ter aumento do ICMS (Imposto Sobre Mercadorias e Serviços), tem volta do Pis/Cofnis sobre o diesel e o aumento do salário mínimo. Tudo isso impacta nos custos do nosso setor. Nosso gás vem de Fortaleza e Recife, de Suape, então o transporte também é impactado pelo aumento do diesel”, afirmou o empresário.

De acordo com ele, em média, cerca de 650 mil botijões são vendidos mensalmente no estado e o setor emprega aproximadamente 30 mil pessoas, direta e indiretamente.

O empresário ainda explicou que os preços podem variar em cada região do estado e mesmo dentro de uma mesma cidade, por causa dos diferentes custos de cada empreendedor.

Em outubro de 2023, o Comitê Nacional de Secretários de Estado da Fazenda (Comsefaz) aprovou um reajuste na cobrança do ICMS, passando de R$ 1,25 por quilo para R$ 1,41 o preço pago por cada quilo do botijão de gás. A mudança é válida partir de quinta-feira (1º). Também foi aprovado reajuste para a gasolina e o óleo diesel.

G1